quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Um Cartão de Visitas



Esta duas rotundas estando bem cuidadas, com a vila de Fornos de Algodres como pano de fundo, estariamos perante um belo cartão de visitas, à saida da A 25!

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Fornos de Algodres, um Presépio Natural



Quando saimos da A25, no nó de Fornos de Algodres, deparamo-nos com uma vista panorâmica exepcional da Vila de Fornos. A beleza da nossa sede de concelho poderia ser explorada um pouco mais. Alguém me dizia que vista de longe parecia um presépio. Numa altura em que se aproxima a época natalícia, seria interessante explorar a sua situação natural e associá-la a esta época. Dir-me-ão que a situação financeira não é a melhor para grandes enfeites. Todavia, um projecto de embelezamento que tornasse a nossa vila a Capital do Natal, possibilitaria a vinda de muitos que, indo em direcção à serra nesta época, não deixariam de nos fazer uma visita, contribuindo assim para deixar riqueza no nosso concelho. Associar o embelezamento natalício, fruto das nossas condições geográficas, à gastronomia regional, onde se incluiria o nosso queijo da serra, seria um bom investimento para o concelho. Veja-se a ilha da Madeira que tão bem soube explorar a sua condição geográfica que torna o Natal e o Fim do ano muito apetecido pelos turistas.

É evidente que um projecto destes deveria ter parceiros, onde se incluem as escolas, as poucas associações, a igreja, o comércio, restaurantes locais,etc.

Visto que esta ideia necessitava de uma programação atempada, pelo menos, alerto a quem de direito que veja o estado em que se encontram as rotundas à saída da A25. É um cartão de visitas não muito satisfátorio. Pelo menos, neste Natal, lancem um desafio às escolas para embelezarem estes espaços, de modo a que quem nos visita possa ficar bem impressionado com estas belas Terras de Algodres.







quinta-feira, 22 de novembro de 2007

O VIVER E O SENTIR DE UM POVO

A nossa juventude, quando motivada e com projectos válidos, é capaz de realizar grandes feitos. Eis a prova disso mesmo:







O CORTEJO ETNOGRÁFICO, A MÚSICA POPULAR E AS EXPOSIÇÕES REINAVAM NAS JORNADAS RECREATIVAS E CULTURAIS DE FIGUEIRO DA GRANJA, E RETRATAVAM O VIVER E O SENTIR DE UMA REGIÃO:

domingo, 18 de novembro de 2007

JORNADAS RECREATIVAS E CULTURAIS




Num comentário anónimo no blog do amigo Al Cardoso, Aqui d'Algodres um anónimo apresentava algumas observações relativas ao meu contributo cívico no concelho de Fornos. No sítio certo já lhe foi dada a resposta. E para comprovar o meu envolvimento em actividades na freguesia, hoje recordo o cortejo etnográfico realizado no âmbito das "Jornadas Recreativas e Culturais de Figueiró da Granja", aquando da minha presidência na Associação Recreativa e Cultural de Figueiró da Granja. Estas foram uma oportunidade de divulgar os usos e costumes desta região, bem como as actividades agrícola. Nesse cortejo, foi interessante verifcar o empenho da juventude local que com poucos meios, fizemos uma actividade única no concelho. Para além deste cortejo, a música popular, as tasquinhas regionais e exposição de artesanato foram uma realidade única.
Daqui lanço o desafio que se façam anualmente umas Jornadas Recreativas e Culturais a nível concelhio, possibilitando assim divulgar tudo o que de bom a nossa terra possui. Essas jornadas deveria ser bem programadas com todas as forças vivas do concelho e divulgadas pelos meios de comunicação social, de modo a que aqueles passem a falar daquilo do que de bom há no nosso concelho. Seria interessante, nessas jornadas, juntar também todos aqueles que gostam da nossa terra e reflectir acerca das várias possibilidades de desenvolver o concelho.

É nesta troca de experiências que Fornos necessita. O Blog "Aqui d'Algodres" tem tido um papel muito importante na divulgação do nosso concelho e nas ideias e debates que surgem, seria bom juntar todos os que nele participam. Penso que uma jornadas deste tipo seriam uma óptima oportunidade de juntar todos aqueles que reflectem e gostam da nossa terra.

Considero que deveria ser uma associação a liderar esta actividade. Como sócio da Associação Terras de Algodres, lanço esta ideia aos corpos directivos da associação. Da minha parte, se o desejarem e dentro da minha limitações podem contar com a minha colaboração na organização.




















quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Local Paradisíaco das Terras de Algodres

O nosso Mondego caminha para o mar.
Com ele, são muitos os que o acompanham em direcção ao litoral!
Para quando esta terra passará a ser um porto seguro?


segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Uma oposição forte faz um concelho forte!

Nas nossas Terras de Algodres, para além de uma autarquia sem ideias, verificamos que a oposição, que deveria assumir um papel firme de alternativa ao poder instalado, não se ouve nem se conhecem os projectos que apoiam ou que apresentam. Somente a um ano das eleições é que aqueles começam a movimentar-se para arranjar as listas candidatas. Quem está longe do concelho, e não só, muitas das vezes nem conhece as caras que podiam ser alternativa ao poder democrático autárquico instalado. Era dever dos eleitos quer dos que estão no poder quer dos que se encontram na oposição, passar uma ou duas vezes pelas freguesias e sede do concelho e conhecer as dificuldades e as carências de modo a apresentarem as soluções mais válidas. Para além das assembleias municipais e de freguesia, os meios de comunicação social e a internet são outros meios que a oposição poderia utilizar para criticar, lançar novas ideias e informar os eleitores.Por isso, todos aquele que se consideram capazes de uma alternativa com um projecto válido, deveriam começar, desde já, a trabalhar, criando uma equipa que começasse a trabalhar num projecto diferente e ambicioso e demonstrar que o Concelho tem futuro.
Os que se encontram hoje no poder deveriam também eles demonstrar o trabalho realizado e apresentar novas ideias para o futuro.
Para se ganharem eleições amanhã deve começar-se "ontem" a andar no terreno e a viver os problemas concretos das pessoas.
O poder não é mais do que um meio de servir e não um meio de se servir!

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Castro de Santiago, um tesouro empresarial escondido!

No passado fim de semana, tive a oportunidade de revisitar locais da minha terra, especificamente o Castro de Santiago.Na verdade, estamos perante um local único, onde a paisagem deslumbrante nos possibilita avistar Fornos, Algodres, Vila Chã, Gouveia, Figueiró,Celorico, etc. Os nossos antigos eram já uns grandes estrategas na descoberta de locais naturalmente fortificados. Poderá perguntar-se se este espaço único e tudo o que o envolve (rio, Sra dos Milagres, etc) está verdadeiramente potencializado. É evidente que não. A construção de uma pousada na encosta do castro, bem como outras infraestrutuas de apoio (Campos de jogos, piscinas, percursos pedestres e a cavalo, canoagem no rio Mondego, etc.) seria uma solução que bem gerida e bem divulgada traria riqueza e poderia fixar muitas pessoas. Paralelamente a esta hipótese, há um conjunto de casas chamadas "as quintas do castro" que estão em total abandono com paredes em pedra quase a cair, com uma eira ,etc. Daí podemos ver ao longe o nosso rio Mondego, as encostas da Serra da Estrela e a actual A25. Os turistas alemães, franceses, americanos, holandeses, se conhecessem este local não tenho dúvidas que já o teriam potencializado, reconstruindo um pequena aldeia beirã com a sua tradição. Já que não surgem ninguém com projectos (muitos nem conhecem este local), deveria a autarqui ter uma visão mais alargada e elaborar um projecto de informação e divulgação que chegasse aos grandes empresários nacionais e aos nossos emigrantes que possuissem capacidade económica para investir.Seria uma óptima oportunidade para as pessoas se fixarem e criarem riqueza na terra que os viu nascer. Se eu tivesse grande poder económico, não tenho dúvidas que seria um projecto que abraçaria, pois estou certo que seria um projecto ganho