segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Fornos de Algodres, um Presépio Natural



Quando saimos da A25, no nó de Fornos de Algodres, deparamo-nos com uma vista panorâmica exepcional da Vila de Fornos. A beleza da nossa sede de concelho poderia ser explorada um pouco mais. Alguém me dizia que vista de longe parecia um presépio. Numa altura em que se aproxima a época natalícia, seria interessante explorar a sua situação natural e associá-la a esta época. Dir-me-ão que a situação financeira não é a melhor para grandes enfeites. Todavia, um projecto de embelezamento que tornasse a nossa vila a Capital do Natal, possibilitaria a vinda de muitos que, indo em direcção à serra nesta época, não deixariam de nos fazer uma visita, contribuindo assim para deixar riqueza no nosso concelho. Associar o embelezamento natalício, fruto das nossas condições geográficas, à gastronomia regional, onde se incluiria o nosso queijo da serra, seria um bom investimento para o concelho. Veja-se a ilha da Madeira que tão bem soube explorar a sua condição geográfica que torna o Natal e o Fim do ano muito apetecido pelos turistas.

É evidente que um projecto destes deveria ter parceiros, onde se incluem as escolas, as poucas associações, a igreja, o comércio, restaurantes locais,etc.

Visto que esta ideia necessitava de uma programação atempada, pelo menos, alerto a quem de direito que veja o estado em que se encontram as rotundas à saída da A25. É um cartão de visitas não muito satisfátorio. Pelo menos, neste Natal, lancem um desafio às escolas para embelezarem estes espaços, de modo a que quem nos visita possa ficar bem impressionado com estas belas Terras de Algodres.







7 comentários:

al cardoso disse...

Mais uma excelente ideia, mas que provavelmente lhe dirao que ja foi considerada antes, mas nao tem possibilidade de ser realizada!

SEJAMOS DIFERENTES PARA SER REFERENCIA!!! Digo eu!

Um abraco amigo do d'Algodres.

Anonimo disse...

"A quem vem de Celorico, depara-se-lhe, de repente, ao dobrar a curva do Permoniz, a silhueta grácil, altiva e donairosa da vila, emoldurada em verdura clara, numa linda perspectiva, a destacar na vertente da serra, dentre o ninho fôfo dos olivedos, soutos e pomares, coroada pelo parque florestal da Esgalhada", Pinheiro Marques, in Terras de Algodres.
Já Monsenhor José Pinheio Marques, destacava na sua monografia a beleza da vila quando um qualquer viajante se deparava de repente com a vila e todo o seu enquadramento. Apesar de no dias de hoje o relato que é feito na sua Monografia não ser exactamente o que encontramos, tenho de concordar que, ainda assim impressiona, quando nos deparamos com a Vila de Fornos.
A sua transformação nesta época festiva, seria agradável, mas como se refere neste Post, as condições económicas não são as melhores. Relembro que o sucesso obtido na Madeira, se deve principalmente ao Fim de Ano, e não tanto ao Natal, e que pouco tem a ver com o embelezamento da cidade do Funchal, mas sim com o espectáculo de fogo de artifício que decorre de 31 para 01 de Janeiro. Para nos posicionar-mos relativamente a custos, quem tiver interesse consulte a seguinte página, do site oficial do Governo Regional, e veja o orçamento previsto para essa festividade:
http://srpf.gov-madeira.pt/droc/orcamentohistorial.htm

No que toca ao embelezamento das rotundas, Viseu tem um projecto deste tipo, em que cada escola local, ou outra instituição de carácter social, cultural ou outro tipo, embeleza uma rotunda, habitulamente a que fica geograficamente mais perto das suas instalações. Em Fornos poderia ser feita a mesma coisa, mas não me parece que seja trabalho para as escolas neste momento. Devo lembrar que entramos justamente nas últimas semanas de aulas, onde há testes e provas para realizar, portanto o timming não é o mais correcto. Talvez outra instituição, quem sabe!!!!

Que não se fique à espera que alguém de direito, aqui venha ler isto para fazer alguma coisa. É preciso que os moderadores e comentadores também tomem iniciativa. É de todos que o nosso Concelho precisa, por isso além das ideias é preciso iniciativa, e também contactar directamente os responsáveis políticos e dirigentes associativos locais. Por isso, que se envie um mail, que se faça um telefonema ou que se converse directamente com as pessoas para lhes expor as ideias. E é o que eu vou fazer, pois conheço uma ou duas pessoas a quem posso expor esta ideia, que poderá ter pés para andar. Se calhar já foi pensada, mas não custa relembrar, falando directamente com os visados e não mandando "recados", como ás vezes por aqui se faz.

Cump's

Carlos de Matos disse...

Ola a todos ;o))

Lembro-me de um natal en 2003 onde por devidas razões tive de percorrer as vilas de Vinhais, Bragança, Almeida, Sabugal, Celorico, Aguiar da Beira, e tirando os efeitos natalicios em Viseu... Fornos tinha-me encantado com decorações simples e ao mesmo tempo bastante visuais. Canecos em chama iluminando o recinto ao pé da Câmara ;o)) Não sei se era chama viva mas o efeito era grande assim como no resto da vila.

Como diz justamente o nosso amigo fornense, o orçamento é incomparavel na Madeira e sinceramente é mais os festivos do Ano Novo, o clima ameno e o excepcional fogo de artificio que trazem esse movimento.

Fornos beneficia de uma vista singular podia-se ver as coisas ao oposto e transformar Fornos num "Belvédère", belavista para o vale do Mondego onde se poderia realizar um dos fogos de artificios, jogos de luzes laser etc... mais espectaculares do interior. Tenho em lembrança a chegada ao alto de Infias e a vista nocturna iluminada desse Mondego anfiteatro natural e tão bem descrito nesse texto tão saboroso de Pinheiro Marques. Um projecto desses para o fim do ano feito em parcerias intermunicipais não precisaria de muitas obras so de um arquitecto pirotecnico e a união de visão ;o))

Ser referencia por se diferente ;o))

Mas ser capital de qualquer coisa é uma vangloria sem fundo se não se agir para isso.

Um abraço Forninhense

pensarfornos disse...

Caro anónimo:
Queria agradecer-lhe a participação neste espaço e o excerto da obra "Terras de Algodres". Esta obra podia ser uma óptima fonte de inspiração para elaborar um verdaeiro programa cultural da Câmara, com raízes.Quanto à beleza da sede de concelho, não pretendo ser original e destacá-la, ela está à vista de todos. Todavia, considero que há alguma falta de sensibilidade em explorar as nossas potencialidades geográficas. É evidente que um projecto destes deveria ser pensado a longo prazo em conjugação com todas as forças vivas do concelho. Apesar dos gastos subjacentes, poderia ser um investimento com retorno. Já no que diz respeito às duas rotundas que são o cartão de visitas de quem sai da A25, não seria difícil decorá-la com elementos alusivos à época complementados com outros que identificassem o nosso concelho. Tem razão quando diz que o ponto alto na Madeira é o final do ano, todavia, ao longo desta época natalícia verificamos uma decoração única que a torna atractiva, como eu próprio tive oportunidade de de verificar há dois anos atrás. Quanto à sugestão de partilhar estas ideias com as entidades não tenho qualquer receio em fazê-lo.Com este pequeníssimo espaço não pretendo dar "recados" a ninguém. Considero que a partilha de ideias só enriquece quem as dá e quem as recebe.As sociedade mais desenvolvidas são aquelas onde a informação e a partilha é maior. Fornos necessitam destes espaços, infelizmente nem todos tem acesso a este meio. Poderiam surgir outros (Jornal) com eles era Fornos e as suas gentes quem ficavam a ganhar. É na partilha de ideias, que poderão surgir projectos que engrandeçam as nossa belas terras de algodres.Deveremos destacar o que de bom se faz, mas não devemos ter receio de partilhar aquilo com que não concordamos.
Passe mais vezes

Carlos de Matos disse...

Ola a todos

Penso que as rotundas podem ser enfeitadas pelos nossos colegas dos serviços tecnicos camararios e pondo em relevo promenores do concelho ou a acção da Câmara.

No entanto no meu ver rotundas nunca foram cartões de visita... excepção de Viseu ;o)) embelezam, facilitam o transito... mas não devem causar agrupamentos de pessoas ou carros para visitar qualquer monumento... seria mesmo perigroso.

Semper Forninhense

pensarfornos disse...

Caro Carlos:
Talvez me tenha explicitado mal. Aquilo que eu queria dizer era que o estado pouco tratado em que se encontram actualmente essas retundas, cartão de visitas, no sentido que é a primeira coisa com que os turistas deparam quando saiem da A25, mostram uma primeira imagem pouco satisfatória da nossa terra. Quem não conhece bem uma terra, a primeira imagem é aquela que fica na memória das pessoas.O Natal seria um pretexto para as tornar mais bonitas associadas a elementos da região que poderiam permanecer ao longo do ano.
Sou de opinião que a entidade que tem responsabilidade nestes espaços, deveria lançar o desafio à criatividade da sociedade civil.
Sempre figueiroense JPClemente

Amaral disse...

João Paulo
Por laços afectivos gosto de Fornos, mas não consigo achar-lhe piada; acho a vila feia (desculpa lá a maldade).
Contudo, a iniciativa de embelezar as rotundas é interessante.
Abraço