quarta-feira, 27 de agosto de 2008

FESTA DO CAMPO 2008



Irá decorrer no próximo fim de semana, no Campo da Cruzinha, em Figueiró da Granja, a denominada "Festa do Campo". Este é um evento que pretende ser um momento de encontro entre os figueiroenses residentes e aqueles que nesta altura visitam a sua bonita terra natal.
Parabéns aos mordomos que se empenharam neste projecto, não deixando que esta festa morresse.

Para mais informações visite o blog http://festadocampo.blogspot.com/.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

RAZÕES PARA A PARTIDA


Esta é um época em que muitos dos nossos emigrantes regressam à terra mãe para matarem saudades da mesma e dos seus entes queridos.
Num tempo em que a desertificação do interior é uma realidade, poder-se-á perguntar se a principal causa da saída de muitos conterrâneos da sua terra se deve simplesmente a uma questão de busca de melhores condições de vida, isto é uma razão de carácter económico. Não tenho dúvidas que antigamente esta era a causa principal. O povo diz que "o dinheiro não dá a felicidade mas ajuda". Eu concordo com a sabedoria popular. Este "ajuda" funciona como um complemento. A felicidade pode encontrar-se, muitas vezes, simplesmente com "o pão nosso de cada dia". Hoje pode haver outras razões que leva à partida. Muitas vezes verifica-se um mal estar social que leva muitos a desiludirem-se com algumas gentes e instituições das suas terras. As "guerras" mesquinhas de carácter político, social e outras leva a que muitos que gostariam de contribuir para o progresso da sua terra se desiludam e partam. Os preconceitos e o conservadorismo exagerado levam a que muitos partam.
Crie-se um ambiente propício ao bem estar interior e verificar-se-á menos "partidas" do Interior para o Exterior.
Votos de umas óptimas férias, em especial, para os emigrantes das Terras de Algodres!

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

O RELVADO


Em tempo de férias, não há como recordar momentos e espaços da nossa infância onde fomos felizes. Hoje queria recordar " O Relvado". Era este o nome dado um espaço localizado à entrada de Figueiró. Era aqui que a rapaziada da minha infância rompia os sapatos, jogando à bola, num campo deveras irregular mas diferente dos outros todos: tinha relva, ou melhor erva. O nome "RELVADO", baptizado por nós, provinha desse facto. As balizas eram feitas com duas pedras. Não é por acaso que o futebol é o jogo mais democrático, pois todos podem jogá-los sem grandes gastos: um campo, uma bola, duas balizas e jogadores. Jogávamos diariamente, independentemente das condições atmosféricas. Por vezes era necessario ir buscar a bola ao cimo das oliveiras ou ao fundo do lameiro, tarefa dos mais novos. De vez em quando, lá se ouvia voz de uma mãe em busca do seu petiz. O espírito de camaradagem era uma realidade.

Pode haver bons campos de futebol, com óptimos pisos e com balizas muito coloridas.. Se não houver espírito de amizade que una os seus elementos, esses espaço, mais cedo ou mais tarde, serão condenados ao abandono e à própria detrioração.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

UMA HISTÓRIA INSPIRADA EM TERRAS DE ALGODRES NOS ANOS 60



Localizada temporalmente nos anos 60 e espacialmente em Figueiró da Granja, esta história da autoria de um leitor deste blog, revela uma grande ternura, materializada através de belos aspectos literários. Por essa razão, ousei fazer um post da mesma.
Em tempo de férias, leia e viva esta pequena história onde podemos verificar que os interesses de uma criança são bem divergentes dos interesses dos adultos.
Uma Bela Ruiva
Conheci-a quando, no café Central e a preto-e-branco, o Homem chegou à Lua.Era um espanto: linda de ruiva e sardas enormes, espertíssima e divertida.Entre a Ciência e Ela, não hesitei: Ela.A tarde inteira, juntinhos, nas escadas do alpendre, entre olhares, festinhase tabletes «Regina» (de cinco tostões) aos quadradinhos partilhadas.De costas para a NASA, declarei-me «melhor amigo d´Ela».O casal «de idade», quatro degraus acima, testemunha.A estridente birra dos meus sete anos e a evidente paixão fulminanteconvenceram, à experiência, a bênção da minha mãe.Em apoteose, partilhada com Neil Armstrong, trouxe-a para casa.A felicidade durou o resto do Verão.Até à abertura oficial da caça com o aparecimento do legítimo a declarar-lhe amor eterno e a reclamar pertença.Nunca mais vi a minha bela «Laika», cadela perdigueiro.Ao que parece, o belo alpendre também desapareceu.Talvez alguém, por celeste prerrogativa, o tenha reclamado.Imagino eu.


domingo, 3 de agosto de 2008

RECORDAR FÉRIAS DESPORTIVAS 99




Em tempo de férias, urge encontrar meios de ocupar a juventude local.
Aquando da passagem pela Associação Recreativa e Cultural de Figueiró da Granja, recordo uma actividade denominada "Férias Desportivas" que aliava o convívio à prática desportiva (não tenho a certeza se hoje esta actividade ainda permanece!). Este evento realizava-se na quinta do Seminário de Fornos sob a forma de acampamento.Eram muitas as actividades realizadas desde a canoagem, a passeios de bicicleta, prática desportiva no pavilhão de Fornos, passeios culturais, visionamento de filmes no cinema da vila, etc.
O rio Mondego era um dos locais eleitos para as múltiplas actividades realizadas.
No último dia, convidávamos os pais dos jovens, bem como os representantes das entidades que nos apoiavam e, "à volta da mesa", passávamos uma noite muito agradável.
De realçar que este projecto teve sempre todo o apoio das entidades locais (Câmara, Junta, Bombeiros, Seminário, GNR, Centro de Saúde, etc.) bem como do IPJ.
Apesar do grande esforço despendido, no final, sentíamo-nos compensados por verificar que a amizade e a unidade entre a juventude era cada vez maior.