terça-feira, 28 de dezembro de 2010

A MINHA TERRA NATAL, UM SONHO PARA 2011...


Mais um ano está prestes a findar. Nesta noite, tive um sonho. Sonhei que a terra que me viu nascer, em 2011, era uma terra com futuro. As gentes da minha terra, onde eu me incluo, já não necessitam de partir em busca de melhores condições de vida. O Turismo passou a ser a grande fonte de rendimento do concelho. As pessoas começaram a reconstruir as casas paternas; os casais começam a fixar-se e as escolas primárias começam a reabrir. Um escola profissional, entretanto abriu. Os nosso jovens têm uma outra alternativa na sua formação. As aldeias começam a ter vida, havendo uma convivência sã entre mais novos e mais velhos. Os usos e costumes antigos passam a fazer parte do programa cultural da Câmara. Em cada aldeia há uma associação recreativa e cultural e não só associações de carácter social. Ao longo do ano, estas associações relembram o viver e o sentir dos nossos antepassados. Os Ranchos Folclóricos e grupos musicais começam a ouvir-se e a fazer-se ouvir pelo país. As pessoas começam a acreditar nas suas capacidade para desenvolver a sua terra. Todos os palmos de terra são agora cultivados, dotados da melhor tecnologia. O vinho, o azeite e o queijo passaram a ser a triologia que se associa a uma gastronomia única e muito apreciadada por quem nos visita.
A nossa terra é agora visitada por muitos turistas. Estes agora têm casas reconstruidas onde podem desfrutar das belas paisagens do nosso concelho. A Empresa fundada para dar vida às casas abandonadas, passou a ser fonte de receita para os cidadãos do meu concelho. Os turistas apreciam o pastar de rebanho e todo o cerimonial que o envolve. A ideia do meu amigo Albino concretizou-se: agora temos uma parque temático sobre o queijo da serra e tudo o que o envolve. São vários os percursos pedestres que possibilitam usufruir das belas paisagens e dos monumentos que esta terra possui.No rio mondego, fazem-se percursos de canoa. Como é saboroso ouvir as aves cantar, a brisa bater nas faces e sentir os cheiros!
Perante esta realidade, as pessoas são livres, pois têm o seu rendimento no final do mês. O seu emprego é agora fruto do seu empenho e não de um compadrio de qualquer índole. As eleições locais são agora momentos de festa e de convívio. As pessoas participam activamente na eleição dos seus representantes, respeitando aqueles que pensam de maneira diferente.
Acordei! O sonho era maravilhoso para estas terras e para as sua gentes!
Há que acreditar, pois "sempre que o homem sonha, o mundo pula e avança".

UM ÓPTIMO 2011 PARA TODOS OS MEUS CONTERRÂNEOS E AMIGOS QUE TÊM A GENTILEZA DE ME VISITAR NESTE ESPAÇO!



quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

UM SANTO E FELIZ NATAL

Nesta época tão especial, desejo a todos os que me visitam através deste espaço

UM SANTO E FELIZ NATAL!
Recorde uma noite de natal em Terras de Algodres:http://ofigueirola.blogspot.com/2007/12/uma-noite-de-natal-nas-terras-de.html

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

A CRISE LOCAL E NACIONAL

A palavra "crise" provavelmente é aquela que nos últimos tempos mais tem sido badalada pelos meios de comunicação social. A "dívida pública" é outra expressão que infelizmente nos acompanha, não só a nível local como também nacional. Em ambos os casos há uma conclusão a tirar: os dinheiros públicos têm sido mal geridos. Os governantes não gerem os dinheiros públicos da mesma forma que gerem os seus privados. A ânsia de ganhar eleições faz com que muitas vezes não se fale  verdade. Como consequência, mais tarde ou mais cedo, à semelhança do azeite, o buraco financeiro vem ao de cima.
Infelizmente, Portugal (país) e  Fornos de Algodres (Concelho), com as devidas distãncias,  surgem hoje na opinião publica pelas piores razões.
Por vezes, é nestes momentos que as pessoas reflectem mais seriamente acerca daqueles que nos governam e sentem uma vontade de mudar os lideres e as forças políticas que se eternizam nos cargos. Por vezes, é nestes momentos que sentimos necessidade de "Mudar" aqueles que nos governam quer a nível local quer nacional.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

TERRAS DE ALGODRES - CASAL VASCO

Esta freguesia começou por ser um casal ou aglomerado de casas que, por ter pertencido a um tal sr. Vasco, se começou a chamar Casal de Vasco, e daí Casalvasco.
Além da igreja paroquial, que é elegante com a sua torre, existem duas capelas.
A da invocação do Senhor Santo Cristo do Loureiro é de grande devoção dos moradores da terra e povos vizinhos, com festa e romaria no últimon domingo de Setembro.
A outra, da invocação de Nossa Senhora da encarnação, é particular e vinculada da casa da Ínsua. Fica à saída da povoação, a nordeste.
Esta capela é alta, bem lançada, elegantíssima, de boa cantaria, á fiada, toda coroada de ameias, em ar de fortificação acastelada. (...)
O Casalvasco tinha em 1527, com o nome casall vasio, 35 fogos."
In Terras de Algodres, Mons. Pinheiro Marques
Para uma informação mais actualizada:http://www.casalvasco.com/