domingo, 22 de março de 2009

A ÁGUA E OS LIMITES DE FIGUEIRÓ DA GRANJA

No dia em que se comemora o Dia Mundial da água, eis como Mons. Pinheiro Marques nos fala deste recurso, como meio de delimitar as terras e neste caso a freguesia de Figueiró da Granja:

"O limite de Figueiró tem a forma de um triângulo e é dos mais belos e ricos deste região de Algodres.
É cortada por cinco correntes de água, que lhe fertilizam as várzeas, a saber: a Ribeira da Cortegaça, que vem do concelho de Trancoso e rega com suas levadas as várzeas do mesmo nome; o Ribeiro do Relão ou da Fonte Arcada, ou da Musga, que tem princípio no sítio da Figueirinhas, em Vila Chã, e entra no Mondego pelo vale do Juncal; o Ribeiro da Fonte ou do Carpinteiro que fertiliza todo o vale de S. Silvestre e Colhereiro até ao Malreza; a Ribeira de Cortiçô, que os de Fornos de Algodres chamam Ribeira de Figueiró e vai desaguar ao Mondego no sítio da Cêrca; e finalmente o caudaloso e cachoante Mondego que rompe, comímpeto e fúria, pr cima das rochas e dos açudes, escavando o seu leito entre os fraguedos ásperos do Valcovo e das Ladeiras."

In "Terras de Algodres"
Mons. Pinheiro Marques

3 comentários:

Amaral disse...

João Paulo
Belo texto. Não basta comemorar este dia é preciso alertar as pessoas, para esta cada vez mais escassa, riqueza.
Boa semana
Abraço

al cardoso disse...

Quanto ao Ribeiro do Relao, da Musga ou Fonte Arcada, para ser mais preciso e oficialmente chamado de "Ribeiro de Vila Cha"!

Excelente post.

Um abraco de amizade.

Anónimo disse...

Monsenhor Pinheiro Marques escrevia no tempo em que o mundo era redondo...Daí a perfeição do texto.