sexta-feira, 25 de julho de 2008

UMA TERRA COM FUTURO DEVE ABRIR-SE AO EXTERIOR






Na passada semana, no âmbito de uma geminação entre uma freguesia de Viseu (S. João de Lourosa) e uma localidade francesa (Le Cerqueux), tive oportunidade de contactar com a realidade física e social francesa. Esta geminação, apoiada pela UE, possibilita a troca de experiências a vários níveis entre dois povos diferentes mas cada vez mais próximos, num mundo global em que hoje nos encontramos. A título de convidado, pois ia integrado no grupo de musica do qual faço parte "AD LIBITUM", senti um verdadeiro acolhimento e verifiquei a abertura ao mundo que estas comunidades apresentam. Numa Europa que pretendemos que seja cada vez mais dos cidadãos, urge fazer este tipo de encontros. Em Terras de Algodres, há alguma geminação com freguesias de outros países? Penso que Fornos de Algodres tem uma geminação com uma localidade francesa. Hoje em dia, uma terra com futuro não pode limitar-se a abrir-se e a associar-se com terras vizinhas. Há que fazer encontro além fronteiras e trocar experiências com outras realidades económicas, sociais, culturais, recreativas, etc.

Quanto maior for a abertura de uma terra ao exterior, maior e melhor será o seu desenvolvimento.

1 comentário:

Amaral disse...

João Paulo
Sem dúvida que as terras têm de se abrir ao mundo, para contactarem com outras realidades e outras culturas, para aprenderem e partilharem.
Nesse sentido o "Ad LIbitum" presta um serviço de grande utilidade aos nossos emigrantes. Parabéns!
Boa semana, abraço