quarta-feira, 28 de maio de 2008

ARRISCAR UMA DERROTA PARA UM DIA ALCANÇAR UMA VITÓRIA


"Quem não se arrisca a uma derrota, jamais alcançará uma vitória". Algures, li esta mensagem e tenho reflectido e constatado que muitas vezes a desertificação no interior e o não desenvolvimento do mesmo resulta deste medo de arriscarmos em projectos e em tomarmos posições diferenciadas dos outros, com medo que esse projecto não venham a ter sucesso ou que as nossas ideias não sejam consideradas. Por vezes, é mais fácil estar no nosso cantinho e não fazer nada por mudar as situações. Fico com a sensação que há medo da novidade dos riscos que essa novidade possa trazer para a situação pessoal e social do ser humano. Daí resulta que a água começa a estagnar, metaforicamente falando, sempre as mesmas pessoas a liderarem os projectos; sempre a mesma cor política a governar e, a determinada altura, começa-se a dar conta que não há novos rostos e a água não se renova, trazendo como consequência projectos e ideias esgotadas há muito. Por isso, poder-se-á concluir que cada um de nós que nasceu, viveu ou vive aí tem uma pequena quota de culpa no "status quo" do interior em geral e das Terras de Algodres em particular.

2 comentários:

al cardoso disse...

Esta o meu amigo muito certo!
Eu tambem confesso, gostaria muito de ter concretizado mais alguns projectos. Mas esta coisa de se residir no estrangeiro e ca nascerem os nossos filhos tem que se lhe diga!
No entanto tenho que afirmar, que um projecto que originaria a minha volta ha uns anos atraz, so nao se concretizou pela falta de apoio moral,tanto por parte da familia como por parte de amigos ai residentes!
Todos me diziam que eu era doido e que estava aqui muito bem, que me deixa-se ficar!
Por vezes basta uma palavra de apoio por parte de algumas pessoas e essa nao a tive por parte de ninguem.
Presentemnte ja e muito tarde pois os filhos cresceram e agora so voltarei definitivamente, caso D*us permita, para gozar a minha reforma.
Mas que tenho muito desgosto de nao ter podido ajudar mais a minha terra, la isso tenho!

Um grande abraco, de amizade dalgodrense.

Anónimo disse...

É verdade JP é necessário perder para saber e dar valor às vitórias e para vencer..em tudo na vida...vê lá se apareces e vais ao nosso blog...um abraç...Sid