quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

A MINHA ÁRVORE



Apesar dos campos cada vez mais abandonados, a árvore, plantada por mim, há mais de 25 anos continua a resistir às silvas e às ervas daninhas.
Neste meu dia especial, recordo-a e com ela simbolizo a minha ligação à minha terra natal, Figueiró da Granja.


7 comentários:

al cardoso disse...

Parabens!
A ver se la vai um dia destes limpar as silvas.

Um abraco dalgodrense.

Anónimo disse...

Olá João Paulo, como te disse de vez enquando passo por aqui, mas não páro. Hoje tive que parar, pois o dia é especial . Quero desejar-te um grande dia Aniversário. Parabens beijinhos
Já que aqui estou como diz o Al vê lá se vais tratar da árvore!!!!
Fátima

Amaral disse...

João Paulo
Um filho, uma árvore... para quando um livro?
Também eu plantei muitas árvores; a maioria (eram choupos) já foi abatida, mas algumas resistem.
Forte abraço

Carlos de Matos disse...

Parabens e Feliz aniversario João Paulo ;o))

A arvore é mesmo um simbolo de testemunho entre as gerações. Tambem plantei arvores de pequeno com o meu pai, os avos e assim fica um laço vivo que perdura quando os antepassados la vão.

25 anos é tempo de uma geração ! tens de plantar uma outra um dia destes ;o))

Carlos

JPCLEMENTE disse...

Caros amigos!
Agradeço-vos as vossa palavras amistosas.Na verdade, os meus amigos Al. Cardoso e Fátima têm razão. Um dia deste quer ver se limpo aquele espaço de modo a que a árvore continue a crescer e seguir o conselho do amigo Carlos plantar mais algumas. Caríssimo Amaral neste momento é um filho (João Dinis)e outra vem a caminho se Deus quiser, em Maio uma menina. Quanto a escrever um livro, ainda pode acontecer.Porque não "O poder Local em Terras de Algodres depois da Revolução"
Um grande abraço de amizade

al cardoso disse...

Nao sabia que fazia anos! PARABENS!!! Que faca muitos e eu que pelo menos saiba!

Um abraco amigo.

Anónimo disse...

A ÁRVORE DA VIDA

«A “Árvore da Vida”, esta encontra expressão no folclore, na cultura e na ficção. Esta relaciona-se frequentemente com a imortalidade ou a fertilidade, prendendo-se na maioria das vezes com significados culturais ou religiosos de diferentes povos e épocas. Para muitos povos, culturas e religiões, a árvore foi no passado um símbolo místico, que representava a capacidade de renascer. Por exemplo, no centro dos jardins celestes descritos pelo Corão ergue-se a árvore celeste (a Tuba); os índios da América executavam os seus rituais mais carismáticos em torno de uma árvore; foi sob um baniane, o Bo sagrado, a árvore da vida, que Buda atingiu a iluminação por estar em contacto com o eixo do mundo e entre os Egípcios, o deus da vegetação, Osíris, ressuscitaria primeiro no seio de um abeto antes de recuperar o seu corpo carnal. Na Bíblia a árvores do Éden. Desde muito cedo na história do Homem que a floresta apresenta uma grande ligação com o nosso imaginário, como morada das fadas e dos elfos, de bestas imaginárias e animais selvagens reais, local de armadilhas e pilhagens por parte de ladrões e salteadores, em súmula, como um local de grande mistério e de rara beleza.»