quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

TERRAS DE ALGODRES, UM SONHO PARA 2008


Mais um ano está prestes a findar. Nesta noite, tive um sonho. Sonhei que a terra que me viu nascer, em 2008, era uma terra com futuro. As gentes da minha terra, onde eu me incluo, já não necessitam de partir em busca de melhores condições de vida. O Turismo passou a ser a grande fonte de rendimento do concelho. As pessoas começaram a reconstruir as casas paternas; os casais começam a fixar-se e as escolas primárias começam a reabrir. Um escola profissional, entretanto abriu. Os nosso jovens têm uma outra alternativa na sua formação. As aldeias começam a ter vida, havendo uma convivência sã entre mais novos e mais velhos. Os usos e costumes antigos passam a fazer parte do programa cultural da Câmara. Em cada aldeia há uma associação recreativa e cultural e não só associações de carácter social. Ao longo do ano, estas associações relembram o viver e o sentir dos nossos antepassados. Os Ranchos Folclóricos e grupos musicais começam a ouvir-se e a fazer-se ouvir pelo país. As pessoas começam a acreditar nas suas capacidade para desenvolver a sua terra. Todos os palmos de terra são agora cultivados, dotados da melhor tecnologia. O vinho, o azeite e o queijo passaram a ser a triologia que se associa a uma gastronomia única e muito apreciadada por quem nos visita.


A nossa terra é agora visitada por muitos turistas. Estes agora têm casas reconstruidas onde podem desfrutar das belas paisagens do nosso concelho. A Empresa fundada para dar vida às casas abandonadas, passou a ser fonte de receita para os cidadãos do meu concelho. Os turistas apreciam o pastar de rebanho e todo o cerimonial que o envolve. A ideia do meu amigo Albino concretizou-se: agora temos uma parque temático sobre o queijo da serra e tudo o que o envolve. São vários os percursos pedestres que possibilitam usufruir das belas paisagens e dos monumentos que esta terra possui.No rio mondego, fazem-se percursos de canoa. Como é saboroso ouvir as aves cantar, a brisa bater nas faces e sentir os cheiros!


Perante esta realidade, as pessoas são livres, pois têm o seu rendimento no final do mês. O seu emprego é agora fruto do seu empenho e não de um compadrio de qualquer índole. As eleições locais são agora momentos de festa e de convívio. As pessoas participam activamente na eleição dos seus representantes, respeitando aqueles que pensam de maneira diferente.


Acordei! O sonho era maravilhoso para estas terras e para as sua gentes!


Há que acreditar, pois "sempre que o homem sonha, o mundo pula e avança".




UM ÓPTIMO 2008 PARA TODOS OS MEUS CONTERRÂNEOS E AMIGOS QUE TÊM A GENTILEZA DE ME VISITAR NESTE ESPAÇO!


6 comentários:

Amaral disse...

João Paulo
Muito me contentaria que esse teu sonho se tornasse realidade, mas enquanto caminhamos nas nuvens desejo-te
um PRÓSPERO ANO de 2008.
Abraço

notoj@l disse...

Amigo " o sonho comanda a vida "
Também eu sonho com o progresso das terras de Tavares, mas os problemas são os mesmos aì ou aqui, o problema são os politicos.
Que com a treta de que querem o melhor para todos lá se vão governando a eles.
Enfim Portugal.

al cardoso disse...

Que sonho lindo!!!
Eu ja me dava por satisfeito se algumas dessas coisas pudessem acontecer, de facto so quem sonha pode ter coragem para lutar contra as adversidades.
Infelizmente sonha-se pouco pelos nossos lados, mas pudera, tambem cada vez sao menos os que la residem!

Um excelente ano de 2008 para si, e para todos os "d'algodrenses" em geral.

rameixions disse...

é sem dúvida um sonho irresistível de desejar.
mas por isso mesmo cabe a todos nós, e já não digo: realizá-lo, mas pelo menos, torná-lo mais real.
um sonho que fica, pelo menos meu, está aqui neste blog realizado, a existência de um local onde o "interior" ou a chamada província pode provar o quão capaz é, de se tornar de um local desejado por tantos.
=)
um abraço com votos de um 2008 em grande, e continuação deste óptimo trabalho.

luis filipe disse...

ENTRE O SONO E O SONHO

Entre o sono e o sonho,
Entre mim e o que em mim me suponho,
Corre um rio sem fim.

Passou por outras margens,
Diversas mais além,
Naquelas várias viagens
Que todo o rio tem.

Chegou onde hoje habito
A casa que hoje sou.
Passa, se eu me medito;
Se desperto, passou.

E quem me sinto e morre
No que me liga a mim
Dorme onde o rio corre -
Esse rio sem fim.

Fernando Pessoa


Bom Ano
Luís

Francisco Pina disse...

Que lindo sonho! E que pena eu tenho, que o mesmo, pelo menos em parte, não se tenha tornado realidade. Vamos entrar no ano de 2013 e cada vez vejo menos hipótese de tal se tornar possível, não só pela realidade local, como também a nível do país.