quarta-feira, 30 de setembro de 2009

UM HUMANISTA + UM ECONOMISTA= CONCELHO MAIS FELIZ E MAIS DESENVOLVIDO

Há alguns meses atrás, publiquei neste espaço este artigo. Numa altura em que os candidatos vão apresentando as suas propostas, aqui deixo a minha opinião acerca da terra que me viu nascer e que tenho sempre no coração.
Hoje, o concelho de Fornos de Algodres possui um conjunto estruturas públicas novas que poderiam e deveriam servir de motivação para o seu desenvolvimento. Graças ao poder central e com a respectiva pressão e colaboração do poder local, hoje Fornos possui um edifício de Tribunal, uma sede da GNR, um Centro de Saúde, um Escola EB2/3, um edifício da Câmara renovado, um Centro Cultural, uma central de camionagem (em construção) praticamente novos.
De facto pode-se possuir tudo isto, mas se não se investe no ser humano local, de pouco servem estes organismos. Há que valorizar cada cidadão, começando por aqueles que mais necessitam. Há que Motivá-lo. Há que sensibilizá-lo para a importância que cada um possui na construção da sua terra e não lembrar-se deles só em épocas eleitorais. Hoje, os líderes locais, para além de "fazer coisas" deveriam ter este papel fundamental motivar para construir.
Quando o Homem passou a ser o centro de todas as coisa, antropocentrismo, os países e as regiões progrediram e marcaram positivamente uma época. Veja-se a época dos descobrimentos.
Também hoje há que passar de um "teocentrismo local" para um "antropocentrismo local!"
Provavelmente, hoje o concelho de Fornos de Algodres necessita de um grande Humanista a liderar o poder local, ladeado por um bom economista.

2 comentários:

al cardoso disse...

Nao vou falar de eleicoes! Portanto desculpe-me de sair do tema.

O que eu gostaria era que o meu amigo me faculta-se a fotografia, que publica este mes. Conheci muito bem essa casa de alpendre, que infelizmente destruiram.
So nao sabia que foi ai a antiga camara do concelho de Figueiro da Granja!
Onde e que o meu amigo conseguiu essa informacao?

Um abraco de amizade dalgodrense.

JPCLEMENTE disse...

Olá Al. Cardoso!
Sempre fiquei na ideia que aquela casa antiga seria a antiga câmara. As fontes não me recordo...
Talvez seja um equívoco meu.
Um abraço amigo
JPC