terça-feira, 2 de setembro de 2008

QUEM CANTA AS NOSSAS CANTIGAS?


Um outro elemento importante na cultura dos povos é a sua música e as suas cantigas. Estas serviam muitas vezes de bálsamo para os homens e as mulheres que trabalhavam as terras. Li numa jornal regional que em Aguiar da beira foi criado um grupo que tem feito recolha e divulgação da música popular do seu concelho. Em Terras de Algodres, verifica-se que este aspecto da cultura popular não está a ser explorado. Os ranchos folclóricos foram desaparecendo. Há dez anos atrás, em Figueiró, começou por aparecer um grupo de música popular que rapidamente se extinguiu. As "politiquices baratas", muitas vezes, só destroem aquilo que é essencial. Para além de "Os Capelenses" não sei se existe mais algum grupo de música popular em "Terras de Algodres".

Antigamente, no Rancho Folclórico de Figueiró da Granja, liderado pelo Sr. Albano Oliveira cantava-se assim:

O meu Coração é Terra


O meu coração é terra

Hei-de o mandar lavrar

Semeá-lo de desejos

de quem por mim perguntar.


Ref:

Toma lá dá cá

Dá cá toma lá

O meu coração

Arrecada-o lá.


Dei um ai, tu não ouviste

Dei outro não deste fé

O meu coração é teu

O teu não sei de quem é.


Ref.


Ai, ai, meu amor ai, ai

Quem der um ai, alivia

Em certas ocasiões

Se não desse um ai morria.

4 comentários:

Anónimo disse...

o verdadeiro bloguista mantém tudo actualizado...muito bem...eu como tenho muitos blogs é complicado..e agora tenho o hi5...torna-te amigo...
aparece..um abraço
sidónio

al cardoso disse...

Que saudades do tempo em que o Sr Albano cantava e encantava, com ele aprendi a gostar do nosso folclore!
Realmente e uma pena neste momento nem um Rancho folcorico termos, num concelho em chegaram a existir pelo menos 5!

Um abraco de amizade dalgodrense.

Anónimo disse...

Têm razao, á dias falava eu com uma Senhora dos seus 60 anos, e dizia ela com tristeza, " Fornos está a morrer todos os dias, ainda à 5 ou 10 anos atras tinhamos, a banda, a fanfarra dos bombeiros, ja tivemos um grupo de teatro,ranchos no concelho, e agora? qualquer dia se isto não muda temos so o cemiterio" Não quero ser tao pessimista em terras d'algodres mas... talves tenha razão.

Amaral disse...

João Paulo
Passei para retribuir a visita e dizer-te que agora, de regresso ao trabalho, voltarei mais vezes.
Abraço