segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

O "ZÉ DAS ISCAS"




A cultura de um povo está também naquelas pessoas e naqueles espaços que marcaram a nossa infância e eram referências gastronómicas no concelho e até no distrito. Refiro-me aos Sr. José, conhecido por todos o "Zé das Iscas", que infelizmente já não está entre nós. Recordo-me em pequeno quando ia para a escola ou regressava e passava pela taberna dos "tio Zé das Iscas" para comer um pão, não com iscas, mas sim com molho das mesmas. Na altura, por 5 tostões comia-se um "paposeco com molho", como dizíamos entre nós. Grande era a satisfação quando com o molho vinha acompanhado de um pequeno bocado de isca!


Eram muitos os que vinham do concelho e não só, provar as iscas feitas pelas sábias mãos do Sr. Zé.


Paralelamente a este petisco feito de uma maneira muito especial que as tornava num sabor unico, havia o lado social do Sr. Zé. A capacidade de conversar e manter conversa era também o segredo para muitos frequentarem a sua taberna.


Muitos eram os que recorriam a ele para que uma multa ou outra fosse tirada. Na verdade, os agentes da Brigada de Trânsito frequentavam muitas vezes este espaço e o Sr. Zé das Iscas era o intermediário para que essas multas fossem retiradas.


Nos últimos anos de vida, as suas pernas começavam a falhar mas mesmo assim, recordo as visitas que fazia a meu padrinho e tio,o saudoso Pe. Clemente, também ele com problemas semelhantes. Estes valores da amizade tornavam-no uma pessoa querida por todos.


São estas pessoas, estes petisco e estes espaços que devem ser recoradados, pois também eles fazem parte do património comum do concelho.


7 comentários:

Carlos de Matos disse...

Bom dia a todos

tambem penso que esses lugares de vida faziam parte da alma das nossas aldeias. Eram um centro de vida social, cultural etc... ;o))
Partilhavam-se as noticias mas e sobretudo boas... A venda, a taberna e depois o café eram por natureza lugares de partilha onde pequenos fomos conhecendo o mundo.
Adoro iscas com uma cebolinha refogada até estou quase a lembrar o gosto tão particular desse petisco popular.

Melhores cumprimentos

Amaral disse...

João Paulo
Esses tempos deixam-nos e trazem-nos saudades. Felizmente que nesse tempo não havia ASAE. Não que não seja precisa, mas porque utiliza métodos de uma arrogância extrema. Querem acabar com tudo o que é bom a começar pelos petiscos. Quem não gosta de uma boa isca, de uma boa punheta de bacalhau?...
Continuação de boa semana.
Abraço

rameixions disse...

bem, ja me ultrapassa um pouco essa geraçao do "Zé das iscas".
no entanto ainda me recordo bem das conversas sobre tal pessoa. e penso também que ainda devo ter nascido com ele em vida. nao deixo no entanto de recordar o local, e manisfestar o meu apreço por ele. apreciador de iscas, mas sobretudo amante dos produtos da nossa terra.
=)

al cardoso disse...

Recordo-me muito bem dele, e tambem o seu padrinho, dois figueirenses que recordo com saudade!
Ja agora sera que nao deixou a ninguem o legado da receita das saborosas iscas!

Ao Restaurante Crasto, nao lhe ficaria nada mal arranjar um prato Identificado por "Iscas ao modo do Tio Ze"!!!

Olhe lembre-lhes quando for la!

Um abraco amigo d'algodrense.

Anónimo disse...

Tenho essa tasca bem viva na minha memória,pois eu também comprei muitos "pães com molho" no sr. Zé das Iscas, a caminho da escola Primária de Figueiró. É pena o tempo tudo levar...
Parabéns pelo blog.

" BOLAS " disse...

velhos tempos que já não voltam aquelas saborosas iscas e as taças de vinho que lá se bebiam pena foi que aquilo fechasse .

Francisco Pina disse...

Não há dúvida, que estas iscas, eram uma maravilha! Nunca mais comi iscas, como as que fazia o tio Zé das Iscas. Recordo ainda, os bons momentos de convívio, passados na sua taverna, com os outros jovens da altura.
Provavelmente, a receita, não terá sido passada, o que é uma pena, pois ela de certeza, iria valorizar a ementa de qualquer restaurante da região.