quinta-feira, 19 de julho de 2012

RELVAS, UM CONTRIBUINTE PARA A FALTA DE PRINCÍPIOS NA POLÍTICA PORTUGUESA

A crise que hoje os portugueses, a todo o custo, tentam contrariar, transporta consigo algo de positivo. A podridão, a corrupção e a mentira, à semelhança do azeite, surge à tona, através dos meios de comunicação social.  Durante muitos anos, andámos anestesiados com as palavras "sábias", ironia, dos nossos governantes. A mentira andava por aí mas poucos a admitiam.
Na verdade, o facto de termos entrado na família europeia trouxe consigo diversos benefícios. A generalidade dos portugueses esqueceu os tempos de miséria que Salazar admirava. Todavia, os políticos não foram sábios em lançar os alicerces do desenvolvimeto e da sustentabilidade de um país que, embora pequeno, possui gente com valor. Bastava olharmos para a nossa história para concluir que a matéria prima existia era de boa qualidade. Os que nos lideraram, infelizmente, não souberam rentabilizar a boa matéria prima. Muitos daqueles que hoje choram lágrimas de corcodilo pelo facto de termos perdido a nossa independência económica esquecem-se que, na génese do problema, eles estiveram na primeira linha. Nos governos do prof. Cavao Silva, com tanto dinheiro, oriundo da união europeia, o interior ficou cada vez mais solitário. Parece um contrasenso. O dinheiro que tinha como objetivo enraizar as pessoas serviu para ganhar eleições e ser distribuído habilidosamente por alguns. Os alicerces não se construiram...Se hoje, Relvas, a nível nacional,  é o cabeça de cartaz do facilitismo, do "chico espertismo", da falta de princípios,  quantos "Relvas" não haverá a nível local e regional?

3 comentários:

Anónimo disse...

Enquanto houve dinheiro, esses corruptos eram os ídolos de muita gente que eu conheço. Havia subsidios, empregos para os amigos, favores, comezainas, risos de escarnio dos que estavam fora ou eram criticos do sistema... Debaixo desses aplausos, roubou-se, desviou-se e desbaratou-se muito dinheiro publico e hoje pagamos todos a fatura. Fala-se muito de Salazar hoje em dia e com muita pena minha tenho de dizer que acho que foi o único gestor que este país teve.

Anónimo disse...

Pois é, esta é, a verdadeira realidade, de um País deixado ao abandono, e de um Povo, totalmente Esquecido,Enganado,Governado por Oportunistas,Corruptos,e de Traidores á Patria,Democratas de Meia Tigela.Pergunto onde é que estão os Senhores que, se titularam, os Salvadores da Pátria ? Pois è, agora estão Bem Pagos,já não se metem em confusões.
Haveria mais,mas por agora fico-me por aqui.

Receba Cumprimentos.

JM

Francisco Pina disse...

Para além da corrupção, alguns dos nossos governantes, apesar de muito entendidos em economia e de nunca se enganarem, andarem a dar subsídios, para se destruir a nossa agricultura, a marinha mercante, e a industria, entre outros, de forma a que tivéssemos de comprar tudo aos nossos parceiros da UE,contribuindo deste modo, para o desenvolvimento desses países e para enterrar o nosso e por isso, chegámos ao estado em que agora estamos. Apesar de tudo isto, a maioria do Povo Português, continua a eleger esta gente, para os mais altos cargos.