quinta-feira, 23 de junho de 2011

A NOITE DE S.JOÃO EM TERRAS DE ALGODRES


As ruas naquela tarde de Junho, exalavam um cheiro especial. Os rosmaninhos começavam a amontoar-se pelas ruas e largos da aldeia. Os petizes já tinham ido aos montes buscar a flôr do S. João. Iniciava-se a construção das pequenas capelas com o Santo emprestado pelas senhoras mais idosos e com múltiplos apelos para que não o partissem.
António e Carlos lideravam as festividades na sua rua. Foram eles quem construiram a capelinha do S. João com mimosas e giestas.
A noite trazia sons, cores e cheiros à aldeia linda. Dos Rádios/gravadores jorravam os primeiros acordes do "Viva o Santo António, Viva o S. João...". As sardinhas assadas eram acompanhadas com o bom e puro vinho das videiras mimadas e acarinhadas pela gente que trabalha o campo.Esse amor era compensado com um néctar que não provocava qualquer dor de cabeça no dia seguinte. A alegria estava no ar! O "Zé Mau" (mau de nome mas bom de coração), acompanhado do seu gravador percorria todos os pontos de encontro daquela terra. Em todos, ele era bem-vindo e convidado a "beber mais um copo".

1 comentário:

aluap disse...

Os Santos Populares festejam-se um pouco por todo o país, mas nas nossas aldeias não pode faltar a fogueira com o rosmaninho, salpor e flor de S. João. Depois a animação depende mesmo do espírito dos presentes, pois é o povo que faz a festa.
Antigamente havia muita juventude e a mocidade era quem mais animava a festa, hoje os tempos são outros e são os jovens de 60/70/80 anos que dão o seu contributo, ensinando aos mais novos os costumes e cantigas populares.Digo isto porque este ano consegui marcar presença na noite de Santo António da minha aldeia, saltei à fogueira, e vivi com muito entusiasmo e alegria esta noite junto destes "jovens".
Um abraço