terça-feira, 28 de dezembro de 2010

A MINHA TERRA NATAL, UM SONHO PARA 2011...


Mais um ano está prestes a findar. Nesta noite, tive um sonho. Sonhei que a terra que me viu nascer, em 2011, era uma terra com futuro. As gentes da minha terra, onde eu me incluo, já não necessitam de partir em busca de melhores condições de vida. O Turismo passou a ser a grande fonte de rendimento do concelho. As pessoas começaram a reconstruir as casas paternas; os casais começam a fixar-se e as escolas primárias começam a reabrir. Um escola profissional, entretanto abriu. Os nosso jovens têm uma outra alternativa na sua formação. As aldeias começam a ter vida, havendo uma convivência sã entre mais novos e mais velhos. Os usos e costumes antigos passam a fazer parte do programa cultural da Câmara. Em cada aldeia há uma associação recreativa e cultural e não só associações de carácter social. Ao longo do ano, estas associações relembram o viver e o sentir dos nossos antepassados. Os Ranchos Folclóricos e grupos musicais começam a ouvir-se e a fazer-se ouvir pelo país. As pessoas começam a acreditar nas suas capacidade para desenvolver a sua terra. Todos os palmos de terra são agora cultivados, dotados da melhor tecnologia. O vinho, o azeite e o queijo passaram a ser a triologia que se associa a uma gastronomia única e muito apreciadada por quem nos visita.
A nossa terra é agora visitada por muitos turistas. Estes agora têm casas reconstruidas onde podem desfrutar das belas paisagens do nosso concelho. A Empresa fundada para dar vida às casas abandonadas, passou a ser fonte de receita para os cidadãos do meu concelho. Os turistas apreciam o pastar de rebanho e todo o cerimonial que o envolve. A ideia do meu amigo Albino concretizou-se: agora temos uma parque temático sobre o queijo da serra e tudo o que o envolve. São vários os percursos pedestres que possibilitam usufruir das belas paisagens e dos monumentos que esta terra possui.No rio mondego, fazem-se percursos de canoa. Como é saboroso ouvir as aves cantar, a brisa bater nas faces e sentir os cheiros!
Perante esta realidade, as pessoas são livres, pois têm o seu rendimento no final do mês. O seu emprego é agora fruto do seu empenho e não de um compadrio de qualquer índole. As eleições locais são agora momentos de festa e de convívio. As pessoas participam activamente na eleição dos seus representantes, respeitando aqueles que pensam de maneira diferente.
Acordei! O sonho era maravilhoso para estas terras e para as sua gentes!
Há que acreditar, pois "sempre que o homem sonha, o mundo pula e avança".

UM ÓPTIMO 2011 PARA TODOS OS MEUS CONTERRÂNEOS E AMIGOS QUE TÊM A GENTILEZA DE ME VISITAR NESTE ESPAÇO!



quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

UM SANTO E FELIZ NATAL

Nesta época tão especial, desejo a todos os que me visitam através deste espaço

UM SANTO E FELIZ NATAL!
Recorde uma noite de natal em Terras de Algodres:http://ofigueirola.blogspot.com/2007/12/uma-noite-de-natal-nas-terras-de.html

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

A CRISE LOCAL E NACIONAL

A palavra "crise" provavelmente é aquela que nos últimos tempos mais tem sido badalada pelos meios de comunicação social. A "dívida pública" é outra expressão que infelizmente nos acompanha, não só a nível local como também nacional. Em ambos os casos há uma conclusão a tirar: os dinheiros públicos têm sido mal geridos. Os governantes não gerem os dinheiros públicos da mesma forma que gerem os seus privados. A ânsia de ganhar eleições faz com que muitas vezes não se fale  verdade. Como consequência, mais tarde ou mais cedo, à semelhança do azeite, o buraco financeiro vem ao de cima.
Infelizmente, Portugal (país) e  Fornos de Algodres (Concelho), com as devidas distãncias,  surgem hoje na opinião publica pelas piores razões.
Por vezes, é nestes momentos que as pessoas reflectem mais seriamente acerca daqueles que nos governam e sentem uma vontade de mudar os lideres e as forças políticas que se eternizam nos cargos. Por vezes, é nestes momentos que sentimos necessidade de "Mudar" aqueles que nos governam quer a nível local quer nacional.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

TERRAS DE ALGODRES - CASAL VASCO

Esta freguesia começou por ser um casal ou aglomerado de casas que, por ter pertencido a um tal sr. Vasco, se começou a chamar Casal de Vasco, e daí Casalvasco.
Além da igreja paroquial, que é elegante com a sua torre, existem duas capelas.
A da invocação do Senhor Santo Cristo do Loureiro é de grande devoção dos moradores da terra e povos vizinhos, com festa e romaria no últimon domingo de Setembro.
A outra, da invocação de Nossa Senhora da encarnação, é particular e vinculada da casa da Ínsua. Fica à saída da povoação, a nordeste.
Esta capela é alta, bem lançada, elegantíssima, de boa cantaria, á fiada, toda coroada de ameias, em ar de fortificação acastelada. (...)
O Casalvasco tinha em 1527, com o nome casall vasio, 35 fogos."
In Terras de Algodres, Mons. Pinheiro Marques
Para uma informação mais actualizada:http://www.casalvasco.com/

domingo, 14 de novembro de 2010

domingo, 31 de outubro de 2010

BLOG "O FIGUEIROLA", 20000 VISITAS

É com satisfação que constato que na última semana, este espaço atingiu as 20000 visitas. Embora as estatísticas não sejam o meu objectivo, mas sim o gozo pessoal de contribuir para a divulgação e debate acerca da terra que me viu nascer, fico muito contente porque constatar este número de visitas. Este é o contributo possível  à terra onde tenho as minhas raízes e onde vivi a minha infância e juventude. Obrigado, a todos os que contribuiram para este número!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

AMBULÂNCIA, UMA MAIS VALIA PARA A NOSSA TERRA!

Parabéns a todos, em especial ao meu amigo Jorge Manuel Dias Ferreira, pelo contributo dado na aquisição de uma ambulância que irá servir as gentes da nossa terra.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

TERRAS DE ALGODRES-CORTIÇÔ

"É uma povoação humilde e pobre, quasi escondida e sepultada no fundo do vale, entre a serra de Algodres e a do Belcaide.
Mas é antiquíssima; é mesmo possível que venha do tempo dos romanos.
Com certeza já existia em 1170, com o nome de Cortiçolo, e dela se faz menção na Carta de Couto de Figueiró. No século XVI chamava-se Cortyçoo.
Apesar da sua reduzida população, que em 1527 era de 30 bfogos, e no século XVIII apenas de 249 habitantes, é, desde tempos imemoriais, freguesia independente, da invocação de S. Pelágio, sufragânea de Algodres. (...)
A igreja paroquial foi reparada em 1878 pela junta de paróquia, com o produto da venda de inscrições que possuía. (...)
No limite de Cortiçô, a caminho da Matança, existe um dolman ..."

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

AS PORTAGENS E O INTERIOR

As vias de comunicação e as condições geográficas (rios,vales e serras) eram ingredientes que serviam para cativar a fixação e o desenvolvimento de uma terra. Nos nossos dias estes elementos ainda não conseguem atingir esse objectivo em todas as localidades. Numa altura em que o governo se prepara para colocar portagens nas principais vias do interior, pergunta-se se será justa esta medida por estas terras, uma vez que a geografia das mesmas não permite ter vias alternativas relativamente rápidas que possibilitem uma mobilidade em tempo eceitável, numa altura em que cada vez mais "o tempo é dinheiro".Sendo assim, sou contra esta medida. O mesmo acontece relativamente às SCUT's do Norte. Os grande investimentos continuam ser centrados na capital. Os criadores de riqueza não são compensados.
Relativamente à A25, poder-se-ia admitir o pagamento de portagens se esta tivesse sido criada de raíz. O antigo IP5 serviria agora como alternativa aceitável.
Infelizmente, não se pensa a longo prazo, servindo, assim, o dinheiro dos nossos impostos para dar respostas a interesse eleitoralistas momentâneos.
Há que fazer política com verdade, caso contrário mais tarde ou mais cedo a crise trará maiores sofrimentos ao povo.Hoje, todos nós a vamos sentindo...

domingo, 26 de setembro de 2010

TERRAS DE ALGODRES- FIGUEIRÓ DA GRANJA


"É a mais importante, pela sua riqueza e pela população, entre todas as freguesias do concelho.
Suavemente reclinada na encosta do Outeiro, entre arvoredos verdejantes e sicomoros floridos, a vila, constantemente beijada pelas doces emanações de frescura que lhe envia o ribeiro da Fonte, que desliza, remansoso e cristalino, a seus pés, entre os milharais pujantes do Prado e as hortas viçosas da Lavandeira, a vila, ia eu dizendo, é bonita, higiénica, bem arejada, cortada de ruas bem lançadas e atravessada NS pela estrada de macadam.(...)
Tem a nascente a Nª Senhora da Copa Cabana, ao norte S. Pedro e Stª Eufêmia, ao poente S. Sebastião, e ao sul S. Silvestre, além das Eiras.
Foi a fé dos antepassados que ali ergeu estas quatro capelinhas, para serem como que sentinelas vigilantes e guardas solícitas da povoação."
In Terras de Algodres, Mons. Pinheiro Marques

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

POR UMA TERRA COM VIDA!


No início de mais um ano lectivo, é com satisfação que constato algumas actividades desportivas e culturais nas Terras de Algodres. São indícios muito positivos que nos dão a esperança e a certeza que as nossa terras possuem um potencial enorme e, por isso, têm futuro. Os jovens têm tido um papel muito importante nesse dinamismo.

Como professor, considero que a escola e o associativismo, através das suas actividades, complemetam-se na formação integral dos jovens. A primeira através de uma formação mais intelectual e a segunda possibilitando o cultivo das relações humanas e nas materialização de actividades de índole cultural, social e desportiva.

Um bom ano de trabalho para todos os meus conterrâneos e que as nossas terras tenham cada vez mais vida!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

ATÉ SEMPRE, AMIGO JORGE RESENDE!

Resultado do acidente de há oito dias na A25, o meu amigo Jorge Resende não conseguiu resistir e faleceu hoje, em Coimbra. Aqui deixo a minha homenagem, utilizando, para o efeito, o poema que o meu amigo Sidónio escolheu e que se encontra no blog do grupo ad libitum. No seio deste grupo, partilhámos muitos momentos de alegria. Até sempre, amigo Jorge Resende! http://adlibitumviseu.blogspot.com/

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

terça-feira, 10 de agosto de 2010

DE UMA GRANDE DITADURA, A PEQUENAS DITADURAS, MASCARADAS DE DEMOCRACIA

A pedido de alguns leitores, encaminho para um artigo de opinião que elaborei há alguns anos atrás, na esperança que o mesmo esteja desactualizado nos dias de hoje... http://ofigueirola.blogspot.com/2008_04_01_archive.html

terça-feira, 27 de julho de 2010

TERRAS DE ALGODRES, TRILHOS E TURISMO


Na pretérita semana, na companhia de alguns colegas da escola onde lecciono, tive a oportunidade de fazer alguns passeios pedestres pelo Gerês. Um amigo dizia que o Gerês só se conhece verdadeiramente quando explorado a pé. São muitos os trilhos que se encontram devidamente assinalados e que porporcionam momentos únicos de contacto com a natureza. Mais perto de nós, os concelhos de Viseu, Penalva do Castelo e Aguiar da Beira existem já alguns trilhos desta natureza, devidamente assinalados.
O Concelho de Fornos possui condições e património natural e arqueológico únicos que poderiam e deveriam ser divulgados, servindo para o efeito este tipo de projectos. Penso que seria um projecto fácil e pouco despendioso. Estes espaços encontrariam na escola os primeiros "clientes". Os nossos jovens deveriam ser os primeiros a conhecer o riquíssimo património natural que possuimos.

Em Figueiró da Granja existem cenários únicos que caberiam neste tipo de projectos. Na minha infância e juventude percorri muitos deste locais. Em artigo anterior, já referi um trilho que poderia denominar-se "O Trilho das Capelas". O Castro de Santiago poderia ser outro trilho a explorar, pois as paisagens são únicas.
Se consideramos o turismo uma vertente fundamental no futuro das Terras de Algodres quem de direito deveria ter também presente estes projectos simples que os turistas tanto apreciam.

sábado, 10 de julho de 2010

O HINO DE VILA CHÃ


Ó Vila Chã, terra de encanto

Aldeia linda, lindo jardim

Os teus encantos são tantos, tantos

São maravilhas que não têm fim.


Vila Chã, terra de encanto

Toda cheia de nobreza,

Batam palmas,

Dêem vivas à bandeira Portuguesa.


Vila Chã é pequenina

Pequenina e mete graça

Tem um chafariz ao meio

Dá de beber a quem passa


Ref.

Ó que ranchinho de moças

Ó que bela mocidade

Criadinhas numa aldeia

Parecem d' uma cidade


Vila Chã, terra de encanto

Gente de bom coração

Batam palmas dêem vivas

Aos professores de formação.


Vila Chã é pequenina

E de muita fantasia

Viva o professor Ricardo

Que nos dá muita alegria.


Vila Chã, terra de encanto

Que não há outra igual

É um cantinho pequenino

Que existe em Portugal.


Vila Chã é pequenina

Tem gente de intelegência

Nòs vimso agradecer

Aos Senhores da presidência!

sábado, 19 de junho de 2010

RECUPERAR CASAS ANTIGAS, UMA APOSTA DA PROF. D. MARIA JOSÉ (D.Zezinha)




Como já referi há algum tempo, uma das respostas à crise e ao abandono do interior passa pela requalificação das casas antigas e divulgação das mesmas. São já alguns os particulares que fazem essa aposta. A Prof. Maria José (D.Zezinha) fê-la, transformandos habitações antigas e degradadas numa belíssima quinta situada em Figueiró da Granja, fazendo fronteira com a freguesia de Vila Chã. Foram aproveitados os espaços exteriores, nomeadamente a harmonização com a ribeira de Cortiçô que passa a seus pés. Mais do que palavras aprecie as imagens e contacte a D. Zezinha para visitar e desfrutar deste espaço que nos transporta para os tempos da nossa meninice em Terras de Algodres.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

PARA QUANDO INVESTIR NO INTERIOR?





No último fim-de-semana, fui à capital actuar com o grupo a que pertenço, Ad Libitum, ao Palácio da Indpendência. Na viagem de regresso visitámos o maior jardim budista oriental, pertença do coleccionador Joe Berardo, situado no Bombarral. De facto, tudo se concentra em Lisboa e na zona litoral, próxima da capital. As novas vias de comunicação não conseguiram trazer para o interior investimento dos grandes grupos económicos. São investimentos desta envergadura que poderiam trazer para o interior a esperança de que as suas terras terão futuro. Porque razão os grandes investimentos não se realizam em terras do interior? O que é que se tem feito para dar a conhecer as nossas potencialidade aos grandes grupos económicos? O que é que têm feito os nossos políticos locais e nacionais para tornar o nosso país desenvolvido harmoniosamente?

sábado, 15 de maio de 2010

TERRAS DE ALGODRES- QUEIRIZ



Mons. Pinheiro Marques faz um bela apresentação das várias freguesias do Concelho de Fornos de Algodres. Eis, pois, a freguesia de Queiriz.
Esta freguesia é a mais distante da sede do concelho, pois fica a mais de 22 quilómetros de Fornos.
É formada por quatro povoações:
Queiriz, sede da paróquia, Aveleiras, Barreiras e Casal do Monte e foi sufragânea de Penaverde.
A igreja paroquial é muito antiga, com porta ampla, em arco romano, e tem gravada sobre a porta lateral a data de 1636, data que também esta sobre a porta da residência paroquial.
Na povoação das Aveleiras existe a "capela do Divino Espírito Santo" (...).
Das quatro povoações a mais notável, sob o ponto de vista histórico, é o Casal do Monte, que, apesar da estreiteza do lugar e exiguidade da população, que em 1527 não ia além de 21 fogos, constituiu só por si um concelho autónomo e independente, com o seu pelourinho e Casa da Câmara ou Cadeia, que ainda hoje existem"


In Terras de Algodres, Mons. Pinheiros Marques

segunda-feira, 3 de maio de 2010

ANÍBAL PACHECO, JORNALISTA, DEIXOU-NOS!

Foi com mágoa que tomei conhecimento da morte do Sr. Aníbal Pacheco, ex. Jornalista do Comércio do Porto e antigo aluno dos seminários da diocese de Viseu. Apesar de residir na cidade do Porto, demonstrou sempre interesse e empenho no desenvolvimento da sua terra, tendo sido, inclusivamente deputado municipal. Era visível a sua contribuição nos actos litúrgicos, sempre que visitava a sua terra. Quando solicitado para participar no jornal "O Figueirola", brindou-nos sempre com vários e preciosos artigos muitos deles relativos às Terras de Algodres.
Obrigado, Sr. Anibal Pacheco!

terça-feira, 27 de abril de 2010

TERRAS DE ALGODRES - MACEIRA

"É uma das mais lindas e pitorescas aldeias do Concelho de Fornos.Situada no alto da serra, que segue a Infias, como esta e Algodres a uma altitude de 700 metros, num suave declívio do monte, que se quebra quási a prumo sobre o vale onde assentam as povoações do Sobral e Mata, descobre-se de lá um vastíssimo horizonte, com vistas soberbas sobre a cidade da Guarda ao nascente e a serra da Estrela ao sul.Tem água abundante e excelente e ares puríssimos, sendo por todas estas circunstâncias talvez a povoação mais higiénica do concelho"
In, Terras de Algodres, Mons. Pinheiro Marques

terça-feira, 6 de abril de 2010

Programa "FornosVida"

Numa população cada vez mais envelhecida, a qualidade de vida dos nossos idosos passa não só por lhes dar boas condições logísticas mas complementadas com o bem estar físico e psicológico. Pelo pouco que conheço, em boa hora a Câmara Municipal lançou o programa "FornosVida" que tem permitido momentos de convívio através do exercício físico.
Como diz o povo "Parar é morrer". Este tipo de actividades faz com muitas vezes seja um óptimo substituto de muitos remédios.
Como nunca é tarde para aprender, porque não lançar um programa que possibilite um conhecimento mínimo das novas tecnologias. Este poderia ser um óptimo meio para os nosso idosos comunicarem com amigos e conterrâneos emigrante e que já não vêem há algum tempo.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

segunda-feira, 15 de março de 2010

ACONTECIMENTOS DE PROJECÇÃO NACIONAL NA PUBLICITAÇÃO DO INTERIOR

Terminou, no domingo passado, mais um congresso de um grande partido português. Mais uma vez, o litoral acolheu este evento de projecção nacional. A vila de Mafra recebeu em sua casa centenas de pessoas, oriúndas de todas as vilas e cidades portuguesas. Realmente, um acontecimento desta natureza projecta directa e indirectamente a imagem de uma terra e de uma região.
É interessante constatar que quando se fala tanto em desertificação do interior, os protagonistas que governam ou venham a governar, não levem para as vilas do interior acontecimentos desta natureza, de modo a divulgarem tudo o que de bom aí existe, demonstrando também deste modo interesse no desenvolvimentos destas terras mais abandonadas pelo poder.


quarta-feira, 10 de março de 2010

domingo, 28 de fevereiro de 2010

SABIA QUE...

"Como consequência do grande desenvolvimento do concelho na segunda metade do século XIX, principiou a publicar-se na segunda metade do século XIX, em 15 de Outubro de 1867, o semanário Gazeta da Beira, redigido, até ao nº 11, pelo Dr. António Cândido de Figueiredo, que depois veio a ser o distinto escritor e notável filólogo que todo o país conheceu."
In Terras de Algodres, Mons. Pinheiro Marques

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

MEDIDAS POLÍTICAS À MEDIDA DAS REGIÕES DO INTERIOR

Numa região cada vez mais desertificada, onde a matéria prima humana vai diminuindo, deveria haver, por parte da classe política, uma visão estratégica comum de acção, de modo a inverter essa tendência. Quer o poder central quer o poder local deveria ter no horizonte da sua acção política, medidas que levassem à fixação de pessoas.
Um dessas medidas poderia passar por dar prioridade nos diversos concursos públicos, aos naturais e residentes nas terras do interior. São também estes que podem e devem contribuir para o desenvolvimento e participar na vida associativa de uma terra e de um concelho.
Quantos estudantes, oriundos das suas terras do interior regressam, ou têm a possibilidade de regressar após a licenciatura?
Olhando para a classe docente, considero que nestas terras do interior deveria haver medidas políticas específicas que possibilitassem dar prioridade de colocação aos naturais das terras do interior. Poderiam ser eles, porque a sentem, os motores do desenvolvimento económico e cultural.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

POLÍTICA DE JUVENTUDE

Num concelho onde os jovens são cada vez menos, urge encontrar uma entidade municipal que possibilite a partilha de ideias sobre política de juventude numa perspectiva de desenvolvimento local. O Conselho Municipal da Juventude, com representantes de todos as freguesias e de diferentes áreas, poderia ser uma solução, como acontece em diversos municípios. Numa idade em que os receios de arriscar são naturais, seria importante existir um orgão local de aconselhamento e acompanhamento dos projectos dos mais novos. Numa terra cada vez mais desertificada, há que dar sinais de esperança aos jovens do interior.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

A FESTA DO MÁRTIR








No último fim-de-semana, decorreram na freguesia de Figueiró da Granja, as tradicionais festas em honra do "Martele" S. Sebastião. No domingo, após a missa e a procissão houve várias actividades, animadas por um grupo de música de Fornos de Algodres.
De um modo especial para os nossos emigrantes, aqui deixo algumas fotos para matar saudades.








domingo, 24 de janeiro de 2010

CAPELA DO MÁRTIR S. SEBASTIÃO

Irão realizar-se, no próximo domingo, dia 31 de Janeiro, em Figueiró da Granja, as tradicionais festas em honra do Mártir S. Sebastião.
Eis o que Mons. Pinheiro Marques escreveu acerca da sua capela:
Era também um edifício vulgar, de telhado baixo, antiquíssima, situada pouco mais ou menos no sítio onde hoje se encontra a actual. A oeste da povoação tinha um adro, onde havia oliveiras e um cipreste, e um terraço na frente, com um bem construído muro de suporte e uma escadaria de pedra que do caminho lhe dava acesso. Foi demolida por motivo da abertura da estrada em 1887 e substituída pela actual com mais pé direito mas mais acanhada. A imagem, vulgar, muito querida pelo povo.

In Terras de Algodres, Mons. Pinheiro Marques

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

ESCOLA DE CORTIÇÔ


Este parte, aquele parte
e todos se vão
Galiza fica sem homens
que possam cortar teu pão!

sábado, 9 de janeiro de 2010

A PARTIR DO LADO DE CÁ, UM POSTAL DA SERRA


Quando se fala da construção do primeiro hotel em Terras de Algodres, há que realçar as belezas paisagísticas que se poderão desfrutar a partir do lado de cá da serra. Realmente, Fornos de Algodres tem um panorama único da Serra mais alta de Portugal continental. Urge rentabilizar! As Terras de Algodres necessitam de gente que nos visite!

sábado, 2 de janeiro de 2010

ANO NOVO, POLÍTICA NOVA?

No início de mais um ano, queria desejar a todos um óptimo 2010. Que as Terras de Algodres e as suas gentes tenham um futuro melhor. Para que isso aconteça, há que colocar a juventude e as crianças no centro das políticas a adoptar.
Queria realçar positivamente o facto de hoje haver dois sítios na internet das duas maiores forças políticas representativas na assembleia municipal, nomeadamente o PSD e o PS. É importante ouvir ao longo do mandato as propostas e, porque não, as críticas às políticas adoptadas a nível local e as respectivas respostas.
Vou tomar a liberdade de divulgar, através deste espaço, estes mesmos sítios que, de certeza, serão do interesse de todos aqueles que vivem no concelho ou têm com ele elo de ligação. Com este debate, utilizando as novas tecnologias, quem fica a ganhar é a democracia e o concelho de Fornos de Algodre.
(Se, eventualmente, alguma destas forças políticas não queira esta divulgação, agradecia que me informasse (lopesclemente@gmail.com) .